Revista Espírita - Jornal de estudos psicológicos - 1860

Allan Kardec

Voltar ao Menu
Podes dizer-me por que sempre gostei de ouvir o som dos sinos? É que a alma do homem, que pensa ou que sofre, busca sempre desprender-se, quando experimenta essa felicidade muda, que desperta em nós vagas lembranças de uma vida passada. É que tal som é uma tradução da palavra do Cristo, que vibra no ar há dezoito séculos. É a voz da esperança. Quantos corações consolou! Quanta força deu à Humanidade crente! Essa voz divina apavorou os grandes da época. Eles a temeram, porque a verdade que haviam abafado fê-los tremer. O Cristo a mostrava a todos. Eles mataram o Cristo, mas não a ideia. Sua palavra sagrada tinha sido compreendida. Ela era imortal e, contudo, quantas vezes a dúvida se introduziu em vossos corações! Quantas vezes o homem acusou a Deus de ser injusto! Ele exclamava: Meu Deus, que fiz eu? Marcou-me a desgraça no berço? Então estou destinado a seguir esta via que me dilacera o coração? Parece que uma fatalidade se liga a meus passos. Sinto que as forças me abandonam. Vou arrebentar nesta vida.

Nesse momento, Deus faz penetrar em vosso coração um raio de esperança. Mão amiga vos tira a venda do materialismo, que vos tapa os olhos, e uma voz do Céu vos diz: Olha no horizonte aquele foco luminoso. É um fogo sagrado que emana de Deus. Essa chama deve iluminar o mundo e purificá-lo. Deve fazer sua luz penetrar no coração do homem e dali espancar as trevas que lhe obscurecem os olhos. Alguns homens pretenderam trazer-vos a luz, mas só produziram um nevoeiro que fez com que perdêsseis o reto caminho.

Não sejais cegos, vós a quem Deus mostra a luz. É o Espiritismo que vos permite levantar a ponta do véu que cobria o vosso passado. Olhai agora aquilo que fostes e julgai. Curvai a cabeça ante a justiça do Criador. Rendei-lhe graças por vos dar coragem para persistirdes na prova que escolhestes. Disse o Cristo: Aquele que usar a espada, pela espada morrerá. Tal pensamento, absolutamente espírita, encerra o mistério dos vossos sofrimentos. Que a esperança na bondade de Deus vos dê coragem e fé. Escutai sempre essa voz que vibra em vossos corações. Cabe-vos compreender, estudar com sabedoria e elevar vossa alma em pensamentos fraternos. Que o rico estenda a mão ao que sofre, pois a riqueza não lhe foi dada para os prazeres pessoais, mas para que seja o seu despenseiro, e Deus lhe pedirá contas do uso que dela tiver feito. Vossas virtudes são a única riqueza que Deus reconhece; a única que levareis, ao deixar este mundo. Deixai falar os falsos sábios, que vos chamam de loucos. Talvez amanhã vos peçam para orar por eles, pois Deus os julgará.

Tua filha, que te ama e que ora por ti.

TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...