Revista Espírita - Jornal de estudos psicológicos - 1860

Allan Kardec

Voltar ao Menu
AS DIFERENTES ORDENS DE ESPÍRITOS
(COMUNICAÇÃO PARTICULAR OBTIDA PELA SRA. DESL..., MEMBRO DA SOCIEDADE, DE SEU FINADO MARIDO)

Ouve-me, cara amiga, se queres que te diga boas e grandes coisas. Não vês a direção dada a certos acontecimentos, e a vantagem que daí se pode tirar para o progresso da obra santa? Escuta os Espíritos elevados, sobretudo guardando-te de não confundi-los com os que procuram impor-se com uma linguagem mais pretensiosa do que profunda. Não mistures os teus pensamentos com os deles. Seria admissível que os habitantes da Terra pudessem encarar as coisas do mesmo ponto de vista que os Espíritos desprendidos da matéria e obedientes às leis do Senhor? Não confundas num mesmo conjunto todos os Espíritos, pois eles são de ordens bem diferentes. O estudo do Espiritismo vo-lo ensina, mas, deste lado, quanto tendes ainda de aprender! Há sobre a Terra uma multidão de indivíduos cuja inteligência não se assemelha. Alguns dentre eles parecem aproximar-se mais dos animais que do homem, ao passo que há outros de tal modo superiores que se é tentado a dizer que se aproximam de Deus, espécie de blasfêmia que se deve traduzir pela ideia de que eles têm em si uma centelha dessas claridades celestes lançadas em seu coração pelo divino Mestre. Então! Seja qual for a diversidade das inteligências na raça humana, convence-te de que tal diversidade é infinitamente maior ainda entre os Espíritos. Existem Espíritos em tal grau de inferioridade, que não têm semelhantes entre os homens, ao passo que os há suficientemente purificados para se aproximarem de Deus e contemplá-lo em toda a sua glória. Submissos às menores ordens de Deus, só aspiram obedecer-lhe e agradá-lo. Chamados a circular em meio dos mundos, ou a fixar-se segundo o que convém à execução dos grandes desígnios do Senhor, a uns ele diz: Ide, revelai meu poder a esses seres grosseiros cuja inteligência já é tempo de se revelar. A outros: Percorrei esses mundos, a fim de que, guiados por vossos ensinamentos, os seres superiores que os habitam juntem novas grandezas a todas as que já lhes foram reveladas. Que todos sejam instruídos, pois dia virá em que as claridades do alto não serão mais obscurecidas, mas brilharão eternamente.

TEU AMIGO



Os dois ditados seguintes foram obtidos num pequeno círculo íntimo do bairro Luxemburgo, e nos são enviados por nosso colega Sr. Solichon, que os assistiu. Lamentamos que nossas ocupações ainda não tenham permitido ir a essas reuniões, para as quais tiveram a gentileza de nos convidar. Sentir-nos-emos felizes quando pudermos assisti-las, pois sabemos que um sentimento de verdadeira caridade cristã e de recíproca benevolência as preside.


I REMORSO E ARREPENDIMENTO

Sinto-me feliz ao ver-vos todos reunidos pela mesma fé e pelo amor a Deus Todo-Poderoso, nosso divino Senhor. Possa ele sempre guiar-vos no bom caminho e cumular-vos com seus benefícios, o que fará se vos tornardes dignos.

Amai-vos sempre uns aos outros, como irmãos; prestai-vos mútuo auxílio, e que o amor ao próximo não vos seja uma palavra vazia de sentido.

Lembrai-vos de que a caridade é a mais bela das virtudes, e que, de todas, é a mais agradável a Deus, não só dessa caridade que dá um óbolo ao infeliz, mas dessa que se compadece das misérias de nossos irmãos; que vos faz partilhar de suas dores morais, aliviar o fardo que os oprime, a fim de lhes tornar a dor menos viva e a vida mais fácil.

Lembrai-vos de que o arrependimento sincero obtém o perdão de todas as faltas, tão grande é a bondade de Deus. O remorso nada tem em comum com o arrependimento. O remorso, meus irmãos, já é o prelúdio do castigo. O arrependimento, a caridade e a fé vos conduzirão às felicidades reservadas aos bons Espíritos.

Ides ouvir a palavra de um Espírito superior, bem-amado de Deus. Recolheivos e abri o vosso coração às lições que ele vos dará.

UM ANJO GUARDIÃO





II OS MÉDIUNS

Estou satisfeita por ver-vos pontuais no encontro que marquei convosco. A bondade de Deus estender-se-á sobre vós, e nossos anjos da guarda sempre vos ajudarão com seus conselhos e vos preservarão contra a influência dos maus Espíritos, se souberdes escutar sua voz e fechar o coração ao orgulho, à vaidade e à inveja.

Deus encarregou-me da missão de cumprir junto aos crentes que ele favorece com o mediunato. Quanto mais graças receberem do Altíssimo, mais perigos correm. Esses perigos são tanto maiores, quanto nascem dos próprios favores que Deus lhes concede.

As faculdades de que desfrutam os médiuns lhes atraem elogios dos homens: felicitações, adulação, eis o escolho. Esses mesmos médiuns, que deveriam ter sempre na memória a sua incapacidade primitiva, a esquecem; fazem mais: o que só devem a Deus, atribuem ao seu próprio mérito. Que acontece então? Os bons Espíritos os abandonam; não mais tendo bússola para orientá-los, tornam-se joguetes dos Espíritos enganadores. Quanto mais capazes, mais são levados a considerar sua faculdade um mérito, até que, enfim, para os punir, Deus lhes retira o dom que apenas lhes pode ser fatal.

Nunca seria demais lembrar-vos que vos recomendeis ao vosso anjo guardião, para que vos ajude a vos manter em guarda contra vosso mais cruel inimigo, que é o orgulho. Lembrai-vos de que, sem o apoio do vosso divino Mestre, vós, que tendes a felicidade de servir de intermediários entre os Espíritos e os homens, sereis punidos, tanto mais severamente quanto mais favorecidos, se não tiverdes aproveitado a luz.

Apraz-me crer que esta comunicação, da qual dareis conhecimento à Sociedade, dará frutos, e que todos os médiuns que lá se acham reunidos manter-seão em guarda contra o escolho onde viriam quebrar-se. Esse escolho, já disse a todos, é o orgulho.

JOANA D’ARC Aviso: Temos a satisfação de anunciar aos nossos leitores a reimpressão da Histoire de Jeanne d’Arc, ditada por ela própria. Essa obra aparecerá dentro em pouco, na livraria do Sr. Ledoyen. Voltaremos a falar dela.


TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...