Revista Espírita - Jornal de estudos psicológicos - 1860

Allan Kardec

Voltar ao Menu
Na primeira edição desta obra, anunciamos uma parte suplementar. Ela devia compor-se de todas as questões que ali não haviam entrado, ou que circunstâncias ulteriores e novos estudos deveriam originar. Mas, como são todas relativas a alguma das partes já tratadas, e das quais constituem o desenvolvimento, sua publicação isolada não representaria uma continuidade. Preferimos esperar a reimpressão do livro, para reunir tudo, e aproveitamos para dar à distribuição da matéria uma ordem mais metódica, ao mesmo tempo que eliminamos tudo quanto tivesse duplo sentido. Esta reimpressão pode, pois, ser considerada como uma obra nova, posto não tenham os princípios sofrido qualquer alteração, salvo muito poucas exceções, que são antes complementos e esclarecimentos do que verdadeiras modificações. Essa conformidade com os princípios emitidos, malgrado a diversidade das fontes em que foram hauridas, é um fato importante para o estabelecimento da ciência espírita. Nossa própria correspondência prova que comunicações em tudo idênticas, senão na forma, pelo menos no fundo, têm sido obtidas em várias localidades, muito antes da publicação do livro que veio confirmálas e dar-lhes um corpo regular. Por seu lado, a História atesta que a maioria desses princípios foram professados pelos homens mais eminentes dos tempos antigos e modernos, e vem assim trazer a sua sanção.

TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...