Revista Espírita - Jornal de estudos psicológicos - 1859

Allan Kardec

Voltar ao Menu
Pai Cesar, homem livre, de cor, falecido a 8 de fevereiro de 1859, com 138 anos de idade, perto de Covington, nos Estados Unidos, nasceu na África e foi levado para Louisiana com cerca de 15 anos. Os restos mortais desse patriarca da raça negra foram acompanhados ao cemitério por um certo número de habitantes de Covington e uma multidão de gente de cor.
Sociedade, 25 de março de 1859.

1. (A São Luís) ─ Teríeis a bondade de dizer se podemos invocar o preto Pai César, a quem acabamos de nos referir?
─ Sim. Ajudá-lo-ei a responder.

NOTA: Este começo faz supor a situação do Espírito que desejávamos interrogar.

2. (Evocação).
─ Que quereis de mim? O que pode fazer um pobre Espírito como eu numa reunião como a vossa?

3. ─ Sois mais feliz agora do que quando vivo?
─ Sim, porque a minha situação na Terra não era boa.

4. ─ No entanto, éreis livre. Em que vos sentis mais feliz agora?
─ Porque meu Espírito não é mais negro.

NOTA: Esta resposta é mais sensata do que parece à primeira vista. Com certeza jamais o Espírito é negro. Ele quer dizer que, como Espírito, não tem mais as humilhações às quais está sujeita a raça negra.

5. ─ Vivestes muito tempo. Isto foi aproveitado para o vosso progresso?
─ Eu me aborreci na Terra, mas a uma certa idade não sofria o suficiente para ter a felicidade de progredir.

6. ─ Agora, em que empregais o vosso tempo?
─ Procuro esclarecer-me e saber em que corpo poderei fazê-lo.

7. ─ Em vida o que pensáveis dos brancos?
─ São bons, mas vãos e orgulhosos de uma brancura de que não são a causa.

8. ─ Porventura considerais a brancura como uma superioridade?
─ Sim, desde que fui desprezado por ser preto.

9. (A São Luís) ─ A raça negra é realmente inferior?
─ A raça negra desaparecerá da Terra. Ela foi feita para uma latitude diferente da vossa.

10. (Ao Pai César) ─ Dissestes que procurais um corpo com qual possais avançar. Escolhereis um corpo branco ou preto?
─ Um branco, porque o desprezo me faria mal.

11. ─ Vivestes realmente até a idade que vos é atribuída, de 138 anos?
─ Não sei exatamente, pela razão que mencionastes.

NOTA: Acabáramos de tecer considerações acerca da idade dos negros, que só podia ser calculada aproximadamente, porque não tinham registro civil, especialmente os nascidos na África.

12. (A São Luís) ─ É certo que por vezes os brancos reencarnam em corpos negros?
─ Sim. Quando, por exemplo, um senhor maltratou um escravo, pode pedir, como expiação, para viver num corpo de negro, a fim de sofrer por sua vez aquilo que fez sofrer e, por esse meio, adiantar-se e obter o perdão de Deus.

TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...