O Livro dos Espíritos

Allan Kardec

Voltar ao Menu
139. Alguns Espíritos e, antes deles, alguns filósofos definiram a alma como sendo “uma centelha anímica emanada do grande Todo”. Por que essa contradição?

“Não há contradição. Isso depende da acepção das palavras. Por que não tendes uma palavra para cada coisa?”

O vocábulo alma se emprega para exprimir coisas muito diferentes. Uns chamam alma ao princípio da vida e, nessa acepção, se pode com acerto dizer, figuradamente, que a alma é uma centelha anímica emanada do grande Todo. Estas últimas palavras indicam a fonte universal do princípio vital de que cada ser absorve uma porção e que, após a morte, volta à massa donde saiu. Essa idéia de nenhum modo exclui a de um ser moral, distinto, independente da matéria e que conserva sua individualidade. A esse ser, igualmente, se dá o nome de alma e nesta acepção é que se pode dizer que a alma é um Espírito encarnado. Dando da alma definições diferentes, os Espíritos falaram de acordo com o modo por que aplicavam a palavra e com as idéias terrenas de que ainda estavam mais ou menos imbuídos. Isto resulta da deficiência da linguagem humana, que não dispõe de uma palavra para cada idéia, donde uma imensidade de equívocos e discussões. Eis por que os Espíritos superiores nos dizem que primeiro nos entendamos acerca das palavras. (1)


___________

(1) Ver, na Introdução, a explicação sobre o termo alma, § II.


TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...